Impressora 3D: conheça essa tendência

Impressora 3D: conheça essa tendência

Saiba o que é essa tecnologia e o que ela é capaz de fazer

 

 

Muito provavelmente você já ouviu falar da Impressora 3D, método inovador que teve sua primeira versão desenvolvida no ano de 1984, por um norte americano chamado Chuck Hull.  Essa primeira versão foi desenvolvida mediante estereolitografia – tecnologia comum usada para manufatura e prototipagem rápida para produção de partes de alta precisão e finalização de superfícies – e tinha duas funções:

1-  Criação de lâmpadas para solidificação de resinas.

2-  A confecção de partes rígidas plasticas de forma rápida, uma vez que o processo habitual demorava em média de seis á oito semanas, e as peças ainda precisavam ser refeitas devido a problemas na produção.

Logo que o primeiro protótipo da impressora 3D cumpriu as duas funções, Chuck Hull percebeu que tinha um desafio: ele precisava desenvolver um maquinário que fosse incrível, no qual pudesse aprimorar a criação de objetos a partir de partes plasticas, para lançar um diferencial competitivo no mercado. Então, ele criou a 3D Systems e focou em desenvolver e patentear sua criação e as diversas formas de impressão, e assim começou a comercialização da famosa impressora 3D que conhecemos hoje.

 

Como funciona a impressora 3D?

Para imprimir um objeto em 3D é necessário criar um molde no computador, definir e configurar as dimensões, para que o software possa juntar os dados e começar a impressão, camada por camada, até finalizar a criação do objeto. Uma das características da impressora 3D é a sistematização em várias camadas controlada por dois eixos que depositam o plástico derretido e criam a base do objeto até que ele seja completamente finalizado. 

Os plásticos utilizados como matéria prima da fabricação pode ser o ABS (ou Acrilonitrila Butadieno Estireno), que é um material bastante rígido e leve, ou o PLA (ácido poliático), que é um polímetro biodegradável que agrega ao produto um acabamento lustroso com riqueza de detalhes. Esses não são os únicos materiais compatíveis com a impressora, porém são os mais comuns para uso na produção. 

Quando surgiu a impressão 3D era extremamente cara, em torno de um milhão de dólares, vinte anos depois, com a impressora e as matérias primas relativamente mais baratas, várias empresas começaram a apostar no equipamento, pois todo trabalho artesanal era feito com tempo muito mais reduzido do que manualmente.

 

Veja os segmentos que já adotaram a impressora 3D em seus processos:

 

Indústria Automotiva: Usada na fabricação de carros, todas as peças plásticas do interior de veículo, desde painéis até para-choques foram feitas com a impressora 3D.

 

Indústria Alimentícia: Os testes com comida já começaram, e hoje já é possível imprimir chocolate em qualquer formato. Segundo estudiosos, futuramente a impressora será capaz de imprimir qualquer alimento, desde que esteja abastecida com as matérias primas necessárias.

 

Industria de Moda e Varejo: moda tem acompanhado as evoluções do mundo tecnológico e, como tal, não poderia deixar de não incorporar a impressora 3D em suas confecções, para melhorar a produção de roupas e acessórios. Marcas como: Chanel, Ateliê Versace, Iris Van Herpen e Ohne Tite já lançaram suas criações feitas a partir da impressora 3D. 

 

Impressora 3D
Roupa feita com impressora 3D

Armamento: Acredite se quiser, armas impressas por impressora 3D já circulam por ai! Os primeiros objetos não deram certo porque o plástico usado na fabricação derretia com a potência do disparo, mas com a tecnologia de sinterização a laser é possível imprimir armas de metal em 3D que podem disparar milhares de vezes e são exatamente iguais as tradicionais em sua aparência.

 

Jóias e Acessórios: esse mercado ainda está sendo explorado, pois para imprimir esse tipo de objeto é necessário material como aço e outros metais preciosos, na vanguarda desse tipo de trabalho na impressora 3D está a arquiteta e designer, Jenny Wu.

 

Indústria da Saúde: Na área da saúde, cientistas já conseguiram fazer próteses de mãos, pernas, e recentemente um Britânico recebeu uma prótese de silicone para colocar no rosto, pois devido a um tumor metade dele foi comprometido.

 

Entretenimento: Para os aficionados por action figures (bonecos plásticos de algum personagem que pode mudar a posição de ação) e miniaturas, a impressora 3D também consegue imprimir esse tipo de objeto mediante matéria prima e configurações corretas.

 

Arquitetura: Seguindo a mesmas características de sistematização em camadas, mas no lugar do plástico usa-se um tipo de argamassa para fazer as estruturas, todo processo de impressão demora em torno de 48 horas.  

 

Tatuagens: Através de uma adaptação, designers franceses conseguiram fazer com que a impressora 3D se transformasse numa máquina de tatuar, que consegue fazer 150 perfurações por segundo. Por enquanto, só é possível tatuar braços e pernas.

 

Uma curiosidade bastante interessante é que existe um marketplace, o shapeways, no qual é possível carregar um modelo 3D, ou obter ajuda de um designer profissional para criar um modelo, escolher entre os mais de 60 materiais, todos de alta qualidade, que a empresa confecciona o produto em 3D e entrega em diversos países no endereço solicitado.

Inúmeras empresas já foram impactadas pelas criações das impressoras 3D, entre elas: Boeing, Adidas e BMW, esta última realiza pesquisas e testes com a impressão 3D desde 1990. Até então, poucas empresas usam a tecnologia para a produção propriamente dita, estão surgindo protótipos de todos os tipos e, futuramente, essas impressoras poderão ser as protagonistas da produção e com isso ficaram mais próximas de interagirem com os sistemas de gestão para que em conjunto, possam otimizar a fabricação.

 

Conclusão

Com base em todas essas informações, percebemos o quão vasto é esse universo das impressões em 3D e o quanto ainda há para ser explorado, tanto em matéria prima, quanto na performance da máquina. Mas é bom ficarmos de olho nas novidades que o mercado tem para apresentar com relação a essas impressões 3D, pois elas prometem revolucionar o futuro da fabricação de diversos produtos. Além de posteriormente poder realizar integração com diversos tipos de sistemas, otimizando qualquer tipo de processo.

 

 Autor: Joyce Alcântara.

 

 E aí, gostou de saber mais sobre a impressora 3D? Fique à vontade para compartilhar suas opiniões com a gente nos comentários! ;)

e-Book: Lições-Chave para aumentar a rentabilidade do seu negócio

Estamos vivendo um momento bastante delicado da economia brasileira e mesmo diante de inúmeros desafios o mercado tende a continuar crescendo. Um dos motivos para o constante crescimento é o fato de que Lojistas estão continuamente aprendendo e inovando.

Nesse contexto, observar atentamente a rentabilidade da operação pode se tornar um grande diferencial competitivo, no entanto, é preciso admitir que para manter o negócio rentável são necessárias ações contundentes, ações que poderão mexer com uma série de questões que pouca gente está disposta a lidar, mas que são fundamentalmente necessárias.

Baixar agora!

Deixar uma resposta

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>