fbpx

Controle de estoque: saiba porque ele é importante para a sua empresa

Controle de estoque: saiba porque ele é importante para a sua empresa

controle de estoque
controle de estoque

As empresas buscam insistentemente estratégias para aumentar os lucros de suas organizações e há diversas fórmulas de alcançar um resultado satisfatório e uma delas é através do controle de estoque.

Falar em estoque é tocar em um ponto extremamente crítico de uma operação logística, pois quando é mal gerenciado ou gerenciado inadequadamente pode causar grandes gargalos na operação e acarretar em grandes prejuízos.

Nesse artigo, vamos falar sobre o controle de estoque, sua importância, os tipos de estoques, como realizar o controle da maneira mais adequada ao seu negócio e o sistema de gerenciamento ideal para otimizar os processos do seu armazém.

Então, vamos começar entendendo o que é o controle de estoque e porque é importante realizá-lo periodicamente na sua empresa. Se você tem dúvidas, continue lendo esse artigo.

 

Controle de estoque

Dentro de uma organização o controle de estoque é a área responsável por controlar o fluxo de mercadorias e obter informações importantes sobre vendas, entrada e saída de itens, entre outros, para evitar problemas como acúmulo de produto, ruptura de estoque, perda de itens, etc.

Imagine que uma empresa que não realiza o controle de estoque não tem conhecimento exato para que o departamento financeiro realize as compras de forma equilibrada, ou seja, acabam comprando demasiadamente sem suprir a real necessidade operacional ou deixando de comprar a quantidade suficiente.

Há um erro comum dos empresários em achar que controle de estoque serve unicamente para monitorar entrada e saída, mas é muito mais que isso, o controle de estoque ocupa um papel muito mais importante e estratégico dentro da operação, pois além de acompanhar a entrada e saída dos produtos, bem como aqueles perecíveis (no caso de produtos que expiram) ou obsoletos (no caso de produtos que com o tempo desvalorizam) ainda mantém as áreas abastecidas com informações importantes para a tomada de decisão .

Realizando periodicamente e de forma minuciosa o controle de estoque, a empresa consegue evitar dentre vários problemas a perda de vendas.

 

Confira abaixo algumas dicas para fazer o controle de estoque:

 

  • Cuide para que a quantidade de itens no seu estoque acompanhe o seu fluxo de vendas e não ultrapasse a demanda;

 

  • Mantenha a organização do seu estoque separando os itens por categoria, tipos, tamanhos, cores, etc;

 

  • Estabeleça controle periódico e minucioso dos itens. Estipulando uma rotina de verificação fica mais fácil perceber qualquer falha ou desvio que venha impactar a operação de forma geral;

 

  • Crie uma relação de confiança com seus fornecedores, para que a reposição ocorra de forma mais ágil e flexível;

 

  • Conheça os tipos de estoque e as diferentes formas de controlá-los;

 

  • Faça a contabilização do inventário, pois dessa forma fica mais fácil identificar se as informações de classificação e contagem dos produtos estão de acordo com a realidade da operação;

 

  • Quando necessário, faça queima de estoque para conseguir vender aquele produto que tem pouca ou nenhuma saída;

 

  • Conte com estoquistas profissionais, experientes e, principalmente, organizados;

 

  • Integre sua operação com outras áreas, dessa forma você consegue identificar oportunidades para realizar determinada movimentação no estoque;

 

  • Adote um sistema de gestão para auxiliar no controle.

 

Seguindo essas dicas você ganha muito mais eficiência no controle do seu estoque e proporciona para a equipe informações rápidas e precisas para garantir uma tomada de decisão mais assertiva.

 

Tipos de estoque

Parte importante da logística de muitas empresas, o estoque é um termo usado para designar a quantidade de material ou produto mantido em um determinado local, para mais tarde ser vendido para o cliente de uma loja ou empresa.

Dependendo do segmento da empresa, seja ela comércio, indústria ou prestação de serviço, o estoque pode apresentar diferentes tipos e também formas de controle.

Selecionamos os principais tipos, a saber:

 

Estoque de antecipação: esse primeiro tipo de estoque que selecionamos é aquele que a empresa forma quando antecipa sua produção para suportar uma futura demanda. Um exemplo clássico desse estoque é quando se tem uma demanda sazonal (mudança de estação/coleção). A empresa se prepara para sair do verão e começa a produzir agasalhos (antecipação) para conseguir atender a maior demanda.

 

Estoque de ciclo: o estoque de ciclo acontece quando a empresa não produz apenas um tipo de produto ou a operação possui vários estágios. Caracteriza-se estoque de ciclo quando a empresa não pode fornecer simultaneamente todos os itens que ela produz.

Vamos imaginar o seguinte, que uma determinada empresa fabrique produtos X, Y e Z. Ela não consegue produzir os três produtos simultaneamente, então para comercializar os três simultaneamente é necessário programar a produção de forma que consiga suprir a demanda. 

Além disso, esse tipo de estoque possibilita a redução de custo, pois acompanhando a produção é possível saber os materiais utilizados em cada ciclo e assim planejar as compras de matéria prima de acordo com as necessidades.

 

Estoque de proteção: também conhecido como estoque de hedge, são aqueles formados para evitar situações incertas, ou seja, que a empresa seja pega de surpresa por acontecimentos que possam afetar a demanda, oferta e o preço.

Exemplo: a empresa percebe que terá um aumento no valor de alguma matéria prima, então ela compra em maior quantidade para suprir essa fase em que o preço do material sofreu inflação.

 

Estoque de canal: caracteriza-se estoque de canal qualquer produto armazenado em trânsito, ou seja, ele se encontra em um canal de distribuição e será levado para outro local para ocupação posterior.

Exemplo: um fabricante qualquer envia seus produtos para um distribuidor regional, que por sua vez, envia o material para um distribuidor local. Esse estoque que passou pelo distribuidor regional e ficou no distribuidor local é chamado estoque de canal.

 


Esses são os 4 tipos principais de estoques presentes nas empresas, mas existem outros tipos, que vale a pena conferir:

 

Estoque regulador: geralmente é utilizado quando a empresa tem várias filiais, esse tipo de estoque é mantido por uma das filiais para suprir as necessidades das outras.

 

Estoque inativo: formado por itens que estão obsoletos ou que não tiveram saída.

 

Estoque de segurança: caracteriza-se por um compromisso que a empresa assume de ter além dos produtos necessários para suprir a demanda, ter também uma quantidade extra para não zerar o estoque.

 

Estoque de contingência: volumes mantidos apenas para suprir alguma eventual falha extraordinária, seja ela no sistema ou nas operações da empresa.

 

Estoque consignado: um tipo de estoque formal, no qual é feito um contrato para que o abastecimento seja feito por fabricantes, distribuidores, importadores, clientes, entre outros. Apesar de se estipular a guarda dos itens em um acordo, o fabricante continua sendo proprietário dos produtos.

 

Estoque dropshipping: normalmente essa modalidade de estoque é mantida por e-commerces e sellers de marketplaces, pois consiste no envio da mercadoria para o cliente pelo fornecedor mediante alguma venda online.

 

São tipos diferentes de estoque, mas o que determina qual o melhor para a sua empresa são as necessidades que envolvem os processos e também as operações. Por isso, é importante conhecer bem todos os processos logísticos da organização.

 

 

Sistema para controle de estoque

Não podemos falar de controle de estoque sem falar de automatização, pois quem trabalha com armazenamento e movimentação de alguma mercadoria não pode deixar de ter um software que centralize e organize as informações da empresa.

Um sistema de gerenciamento de armazém ou Warehouse Management System (WMS) é uma parte importante da cadeia de suprimento, pois fornece para o gestor um panorama dos estoques, controlando desde a conferência até o despacho das mercadorias.

 

Confira os benefícios:

 

  • Redução de custos operacionais;
  • Otimização do espaço físico;
  • Agilidade na operação;
  • Segurança
  • Redução do tempo de espera;
  • Controle operacional;
  • Evita perda de itens estocados;
  • Evita item parado em estoque.

 

Além desses benefícios, o WMS pode ser facilmente integrado com o sistema ERP da empresa, o que garante muito mais autonomia para a tomada de decisão.

Mesmo que a movimentação do seu estoque não seja tão dinâmica, estude a possibilidade de apostar em um sistema de gerenciamento de estoques e armazéns, além dos benefícios da automatização sua empresa ainda ganha vantagem competitiva.

 

Conclusão

O lojista precisa levar em conta que entender a funcionalidade do controle de estoque deve ser uma de suas principais competências, independente do fluxo de movimentação da sua operação.

Considerar o sistema WMS como aliado para o gerenciamento estratégico do estoque é essencial para o equilíbrio da operação, pois todos os benefícios mencionados garantirão mais precisão, agilidade e segurança para a empresa, sem mencionar a vantagem competitiva frente ao concorrente.

Ah, não esqueça de seguir nossas dicas, elas são partes fundamentais para realizar o controle de estoque da melhor forma possível para os seus negócios.

 

E aí, gostou do conteúdo? Então, não esqueça de compartilhar com seus amigos para que eles também entendam a importância do controle de estoque!

 

Até o próximo post! ;)

e-Books e-Millennium: Vários temas que vão fazer a diferença na sua operação.

Melhores práticas de varejo na área de compras, gestão e fluxo de pedido, formação do preço de venda, partilha do ICMS (DIFAL), rentabilidade e Omnichannel.

Baixar agora!