fbpx

O que é recommerce e quais as vantagens para o varejista?

recommerce

 

Já comprou algo de que se arrependeu ou adquiriu algum serviço que, de última hora, não deu para usar? Algo que há pouco tempo seria um problemão, hoje é uma solução de mercado. Se você não faz ideia do que estamos falando, chegou a hora de conhecer o conceito de recommerce.

O termo pode até parecer meio estranho aos ouvidos, mas a prática já vem de algum tempo. Passar uma mercadoria adiante, que não seja de primeira mão, se tornou uma escolha sustentável e lucrativa. É um tipo de comércio tão eficiente que ganhou um nome próprio.

Quer saber mais sobre esse tal de recommerce e entender quais são suas vantagens? Então, fique com a gente e aproveite a leitura!

O que é recommerce?

Em termos gerais, o recommerce pode ser definido como a venda de produtos de segunda mão em meio eletrônico. Há um tempo, ele poderia ser reconhecido como aquele brechó que vendia roupas da sua avó e, quem sabe, da avó dela. Acontece que ele se modernizou e ganhou novas ferramentas — a internet, por exemplo.

Você já ouviu falar daquele site famosinho em que as pessoas podem passar adiante as peças das quais enjoaram por um precinho de desapego? Pois, a moda pegou tanto que atingiu até mesmo o mundo dos eletrônicos, como celulares e computadores, e hoje é tendência novamente.

Alguns consideram esse tipo de comércio parte de um conceito chamado de economia sustentável, ou seja, um meio de movimentar a comercialização de produtos sem precisar gerar ainda mais poluição, extração de recursos e mão de obra desnecessária. Isso tudo aproveitando a credibilidade já ofertada pelas grandes marcas.

A lógica é a mesma de quem compra um carro usado, por exemplo. Você não coloca o carro fora toda vez que pensa em trocar, não é mesmo? Isso também é válido para quem compra. Em vez de pagar um valor bem mais alto por um veículo 0km na concessionária, há a opção de procurar uma revenda, que garante a revisão e a qualidade do veículo, mesmo depois dele “perder a utilidade” para o seu primeiro dono.

Quem entendeu os benefícios dessa jogada encontrou aí uma forma de empreender e fazer dinheiro. Será que você também pode surfar essa onda?

Quais são as suas vantagens?

A prática do recommerce estimula um consumo mais consciente, especialmente se considerarmos a comercialização de dispositivos eletrônicos que é feita hoje. Em vez de adquirir itens novos e fomentar ainda mais a produção de lixo pela inutilização dos antigos, as pessoas podem dar uma nova vida a determinados itens.

Mas, será que esse é o único benefício gerado? A resposta é não e a seguir você vai entender como a sua empresa pode alcançar vantagens importantes com essa modalidade de venda.

Alcançar um novo público

Ao abrir suas vendas para a segmentação do recommerce, você passa a alcançar um público diferente daquele com o qual está acostumado. Muitas pessoas buscam por essas soluções mais sustentáveis, conscientes e, consequentemente mais baratas.

Isso ajuda você a ampliar o leque de público-alvo, atendendo a um grupo maior de pessoas e aumentando as opções que oferta. Isso tudo sem abdicar da qualidade. A empresa só tem a ganhar.

Ampliar os lucros

Com mais uma opção de vendas e outro segmento de consumidores interessados nos seus produtos, os resultados das vendas acabam sendo muito melhores. Você, literalmente, amplia suas fontes de renda e isso tem um impacto muito positivo nas finanças do negócio.

Em última instância, se houver uma boa gestão, o aumento das vendas vem acompanhado de uma lucratividade maior. Para isso, é preciso ser criterioso com itens que entram no seu recommerce, do contrário, o custo para restaurar os produtos pode ser maior que você conseguiria tirar na venda.

Ter novas oportunidades de vendas

Você sabe aquelas marcas caríssimas que muitos consumidores sonham em adquirir, mas não têm poder aquisitivo para tanto? Sejam roupas, calçados, eletrônicos ou quaisquer outros produtos, você pode criar oportunidade de vendas para esse público, com a mesma confiabilidade da marca original, por um preço muito melhor.

Logo, um produto que, enquanto novo, gera certa exclusividade e limita muito a fatia de consumidores que efetivamente poderia comprá-lo, ganha nova vida e assume uma oferta verdadeiramente acessível para um número muito maior de pessoas. O resultado é o aumento das suas vendas!

Como colocar o recommerce em prática?

Caso você tenha se interessado por esse modelo de vendas e queira experimentá-lo, saiba que o passo mais importante no recommerce é investir em uma plataforma de e-commerce avançada, que dê estrutura para esse tipo de serviço.

Além disso, é importante estipular uma estratégia que segmente e direcione as vendas. Por exemplo: você pretende vender para pessoas físicas ou jurídicas? Que tipo de produtos serão comercializados? Quem vai fornecer esses produtos para você? Os seus fornecedores negociarão diretamente com os seus clientes ou venderão para você e você para os consumidores finais?

Uma opção bastante vantajosa é utilizar pequenos vendedores como fornecedores. Como muitos deles não têm tanta facilidade para fazer o giro dos estoques, você pode adquirir mercadorias de segunda mão e revitalizá-las para vender na sua loja.

Também é importante pensar em aspectos como os meios de pagamento, a elaboração de uma vitrine virtual, a logística de recolhimento e entrega dos produtos e assim por diante. Além disso, deve-se contar com um suporte técnico, tanto no que diz respeito à tecnologia, quanto à revisão e à revitalização dos produtos.

Como você viu ao longo do conteúdo, apesar de a terminologia ser nova, a prática do recommerce não é nenhuma recém-chegada no mercado. Muitas empresas já conseguiram se estruturar nesse modelo de vendas, e é completamente possível se adaptar a ele para expandir suas opções.

O recomércio de produtos reformados podem voltar ao varejo atendendo a um tipo diferente de público e as empresas podem, inclusive, se especializar nesse tipo de atividade, como foi o caso do Ebay e da OLX, por exemplo. Essa é, sobretudo, uma forma de dar uma segunda vida para produtos que já estão saindo de linha.

Agora que você já está por dentro dessa tendência que vem ressurgindo, conte nos comentários qual é a sua opinião sobre o recommerce e como você acredita que ele contribui para o varejo!

Baixe aqui

Infográfico – O empoderamento do consumidor e como as tecnologias podem ajudar

Deixar uma resposta

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>