fbpx

Pix: saiba como o novo meio de pagamento pode ajudar sua empresa

 

Pix
Pix

É Pix, é Pix, é Pix! O novo e tão comentado meio de pagamento está na cabeça do consumidor. Em apenas um mês, segundo estimativa do Banco Central, já foram movimentados R$ 83,4 bilhões pelo sistema.

E não é à toa, o Pix atende exatamente o que os novos consumidores esperam de uma experiência, que ela seja rápida, cômoda e sem atrito.

Nesse sentido, o novo meio de pagamento instantâneo acabou se tornando rapidamente um serviço de alcance nacional. Mas e você, varejista, já está adaptando os negócios para receber por esse meio de pagamento?

Não é nenhuma novidade que as novas opções de pagamentos sem contato ou digitais estão impactando de maneira definitiva empresas de diversos segmentos e com o Pix não seria diferente. As empresas serão cobradas para se adaptarem e disponibilizarem esse novo meio de pagamento instantâneo o quanto antes.

Pensando em todo o cenário que o Pix está criando no Brasil, decidimos abordar alguns pontos fundamentais sobre o serviço: o que ele é, como funciona, suas vantagens e como integrar o novo meio de pagamento digital ao sistema ERP da sua empresa.

Então, se você está curioso para saber os impactos do Pix no seu negócio, continue aqui com a gente e boa leitura!

O que é Pix?

O Pix é um serviço criado e disponibilizado pelo Banco Central do Brasil (BC), que promete agilizar pagamentos por transferência bancária, pagamentos de contas e até mesmo o recolhimento de impostos e taxas.

O serviço chamou atenção porque permite que as transações de pagamento sejam concluídas em até dez segundos. Além disso, ele fica disponível 24 horas por dia, todos os dias da semana, inclusive nos feriados, e garante mais facilidade para o dia a dia da população.

Mas o que fez com que esse novo meio de pagamento digital caísse nas graças do público é porque ele minimiza os custos, uma vez que as transações feitas pelo Pix não têm cobrança de taxa definida, potencializando a experiência do cliente e criando um cenário de vantagem competitiva bem maior para o mercado.

 

Como Funciona?

Para utilizar o Pix, é preciso realizar o cadastro da chave no seu banco, que pode ser o seu e-mail, número do CPF ou do CNPJ, número do celular ou um código de números e letras aleatórios gerado pelo próprio aplicativo da instituição financeira.

Além disso, também é possível usar o Pix por meio da leitura do QR Code ou mediante um link gerado pelo celular.

Essas chaves servirão para a identificação das transações feitas pelo Pix, basta informar a chave e automaticamente a transação é realizada.

 

Diferença entre Pix, TED e DOC

Além da diferença de rapidez e disponibilidade, que comentamos no começo do artigo, o Pix tem algumas outras particularidades em relação a outros dois serviços financeiros bastantes conhecidos: o TED e o DOC.

Confira:

 

  • TED (Transferência Eletrônica Disponível)

A transação feita de uma instituição bancária para outra é creditada na conta do destinatário até as 17h do mesmo dia. Porém, se a transferência for realizada depois desse horário, o dinheiro só estará disponível no dia útil seguinte.

Por isso, é preciso muito cuidado ao realizar a transferência numa sexta-feira à tarde, por exemplo. Se a solicitação for feita depois das 17h, o destinatário só receberá o dinheiro no próximo dia útil pela manhã. Muita atenção, se houver uma situação de urgência, esse meio de transferência bancária vai te deixar na mão.

O TED possui uma taxa cobrada pelos bancos, mas é bastante flexível com o limite de transferência, permitindo transações que vão de centavos até valores acima de R$ 7 mil, por exemplo.

 

  • DOC (Documento de Ordem de Crédito)

O DOC tem menos adeptos do que o TED, já que o dinheiro só fica disponível para o destinatário no dia seguinte e, em caso de transferências realizadas após as 22h, pode demorar mais de um dia útil. Além disso, esse serviço tem um valor máximo de até R$ 4.999,00. Por isso, o DOC não é uma boa opção para quem tem pressa ou precisa transferir um valor superior ao mencionado.

O DOC também possui uma taxa, que é definida pelas instituições financeiras de forma independente.

 

  • PIX

Até então, as transações realizadas via Pix não são cobradas, isso quando são realizadas por meio de canais digitais, ou seja, aplicativos e internet banking. Para pagamentos feitos em canais de atendimento presencial ou por telefone, poderá haver futuramente a cobrança de taxa pelo serviço.

Mesmo assim, o Pix ainda deixa muitos usuários satisfeitos, pois os pagamentos são feitos em tempo real para qualquer instituição financeira e em qualquer dia da semana e horário.  

 

Vantagens

Pois é, parece que o novo meio de pagamento instantâneo Pix vai facilitar e muito a vida das pessoas físicas, mas e para as empresas? Quais as vantagens que os empresários poderão garantir ao adaptarem os negócios para receberem também por meio do Pix?

Confira a seguir:

 

  1. Agilidade na compensação

Assim como as transações são realizadas em tempo real, o varejista também consegue receber os valores em questão de segundos, agilizando o processo de separação da mercadoria no estoque e liberando o produto com mais rapidez.

 

  1. Potencializa a experiência de compra

Quanto mais possibilidades você proporcionar para o seu consumidor, maior será o seu alcance e melhor será a experiência de compra que você oferece. Para o cliente, não tem nada mais frustrante do que tentar fazer negócio com uma loja e ela não aceitar o meio de pagamento que ele prefere.  

 

  1. Garante maior vantagem competitiva

Quanto mais opções você, como empreendedor, puder oferecer ao cliente, mais à frente da sua concorrência poderá se posicionar, ganhando vantagem competitiva e conquistando seu público-alvo.

 

  1. Sem custos adicionais

Em comparação com os outros meios de pagamentos, o Pix garante uma transação livre de cobrança de taxas para quem está recebendo.

 

  1. Maior flexibilidade nos pagamentos

Não é apenas receber pelo Pix que traz vantagens para o seu negócio, você também consegue melhorar o fluxo de pagamentos entre parceiros e fornecedores, por exemplo.

 

  1. Mais segurança e menos burocracia

As transações passam a ter mais segurança, sem riscos de ter o negócio impactado por fraudes financeiras ao receberem boletos falsos ou cartões clonados.

 

Integração com o sistema ERP

Recentemente, ao ser questionado sobre a liberação dos recebimentos via Pix por empresas, o BC informou que irá liberar algumas API’s (Interface de Programação de Aplicações) para que as empresas possam fazer as integrações entre seus sistemas ERP o e as adquirentes.

Dessa forma, seu estabelecimento poderá pagar, receber e transferir em questão de segundos, se livrando de toda a burocracia dos demais meios de pagamento, como boletos e cartões.

Alguns sistemas ERP já estão integrados ao Pix por meio do pagamento por via QR Code (que é bem mais seguro), garantindo ainda mais agilidade durante as transações e finalização das vendas.

Se você já tem um ERP, verifique com o seu fornecedor como realizar a integração para oferecer o pagamento via Pix aos seus clientes. É importante dizer que apenas os sistemas de gestão pensados para a omniera, novo ciclo de evolução do varejo, atendem com mais facilidade e sem burocracia a esses e outros meios de pagamentos digitais de forma integrada e simplificada.

 

Conclusão

O Pix chegou para agilizar todos os tipos de pagamentos e otimizar a gestão financeira da empresa, conferindo mais segurança contra fraudes de cartão de crédito e boleto.

Imagine os vários pedidos feitos na sua loja, com pagamentos via boleto, nas vésperas do final de semana. Você demoraria dias para receber os valores até a compensação do banco e, consequentemente, a entrega seria impactada. Com o Pix, esses processos são simplificados, permitindo desde a otimização da gestão financeira até a gestão de logística.

Além disso, o novo meio de pagamento facilita os recebimentos entre o cliente e sua loja, e possibilita transações entre fornecedores, parceiros comerciais e pagamento de tributos, contribuindo também para a gestão tributária da sua empresa.

Quer saber como a nossa solução pode te ajudar a otimizar ainda mais os processos financeiros? Fale com nossos especialistas, clicando aqui.

Até a próxima! ;)

Autora: Joyce Alcântara.

Baixe aqui

Guia essencial da Transformação Digital