fbpx

Revista Costura Perfeita traz nova reportagem sobre a Empresa Millennium Network

Revista Costura Perfeita traz nova reportagem sobre a Empresa  Millennium Network

millennium-post

 

A edição nº 107 da Revista Costura Perfeita já está disponível e traz uma matéria com entrevista de um dos quatro sócios da Empresa Millennium Network, o Empresário Sandro Silva que hoje ocupa o cargo de CFO. 

Na reportagem, Sandro fala do início dos negócios com o irmão e sócio Fábio Silva e das dificuldades que enfrentaram com a primeira empresa, a Factory Sistemas que mais tarde, com a chegada dos outros dois sócios Rodrigo Motono e Gustavo Hispagnol, mudou o nome para Millennium Network.

 

Confira abaixo na íntegra:

 

A história poderia começar como a de muitas outras empresas de tecnologia do Vale do Silício, com a criação de um software na garagem de casa. Foi quase isso. No início dos anos 1990, Fábio Silva, sócio-fundador da Millennium, na época estudante, criou seu primeiro software em casa, pensando, principalmente, em como gerenciar a produção e o varejo nas empresas de confecção do Brás e do Bom Retiro, os dois principais polos confeccionistas do país.

Em 1993, ele e seu irmão Sandro Silva começaram o negócio com o nome de Factory Sistemas em um escritório comercial em prédio próximo ao Fórum João Mendes, bem no Centro de São Paulo, mas logo a opção do local não se mostrou muito adequada: devido à grande quantidade de escritórios de advocacia na região, muitas pessoas chegavam até a sala da Factory achando que eles trabalhavam com a prática de “factoring”, e toda vez tinham de explicar que não era bem isso. Foi então que resolveram se mudar para o Bom Retiro. Até esse período, a empresa era apenas os irmãos Fábio e Sandro Silva (CFO), mas, em 1998, com a chegada de Rodrigo Motono (diretor comercial e de Marketing) e Gustavo Hispagnol (diretor de Desenvolvimento) à sociedade, fundaram a Millennium. De lá para cá, passaram-se 25 anos e a empresa tornou-se uma das referências nacionais quando se fala em sistemas ERP, e-commerce e omnichannel. Não à toa: a busca por conhecimento, atualização e inovação são as principais engrenagens que movem os sócios e sua equipe, que conta com mais de 300 colaboradores (160 diretos, na matriz em São Paulo, e o restante Brasil afora, nos escritórios regionais, como os da Grande São Paulo e interior, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás e Ceará). “Montar um software do zero é um supertrabalho, são muitos módulos e detalhes na programação. Mas ele nasceu com essa concepção de ser um software de gestão; então, desde muito cedo, temos o conhecimento da gestão completa de uma empresa de confecção de moda, pois temos a parte de produção, chão de fábrica, ficha técnica de produto, ciclo de produção, terceirização – temos o controle de tudo o que entra e sai, para onde foi, quando voltou, etc. Temos as ferramentas para quem faz a produção internamente ou terceiriza”, conta Sandro. Ele relata que o software Millennium foi crescendo de maneira interessante, porque cada cliente tem seu modo de trabalhar. E a cada contrato assinado com alguma empresa, havia e há sempre algo que pode ser mexido no software. “Ele é uma coisa viva: vai sempre agregando e atualizando o tempo todo. Às vezes nos surpreendemos quando nos sentamos para conversar com um cliente novo e ele, que antes usava outro software que atuava de forma diferente, sempre nos mostra algo que podemos fazer a mais. Não só os softwares evoluem, mas os processos evoluem e as pessoas também.

Por isso a Millennium sempre evoluiu e cresceu, pois, quando falamos de investimentos, para nós é a vivência do dia a dia e querer ouvir o cliente e atender ao mercado. Isso é o que nos move. ” Sandro foca também em um dos pontos de visão da empresa, uma palavra que, segundo ele, é muito utilizada dentro da Millennium: flexibilidade. “O lado bom da flexibilidade de um software é ouvir o que o cliente tem a dizer. Se ele vem com uma ideia nova, eu não digo “isso eu não faço”; dentro de um software, tudo dá. Só preciso ver prazo, custos, se aquilo vai atender um único cliente ou se vai agregar à ferramenta, se aquilo é um processo ou módulo que dará mais corpo. Mas toda vez que vimos que algo vai agregar ao nosso produto, abraçamos, fizemos isso milhares de vezes ao longo destes 25 anos. Então, a palavra flexibilidade tem um peso muito grande para nós. Por isso nosso software hoje é grande, com muitos processos, atendendo quase tudo de uma indústria de moda e confecção. Hoje, com a experiência que temos no setor de moda, conseguimos alcançar e atender outros segmentos, pois a moda é muito difícil e complexa. Como nascemos com a indústria da confecção, temos esse dinamismo”, reforça. Quando a história da Millennium começou, havia outras empresas que atuavam na mesma área. Porém, algumas foram mudando seu perfil, abrindo espaço para que os quatro sócios abraçassem esse setor, tornando-se referência. Com mais de 1.600 clientes ativos hoje (de grandes marcas e segmentos diversos), 33 mil logins de usuários diferentes são feitos diariamente nos sistemas da Millennium quando esses chegam ao trabalho. E a tendência é só crescer, sobretudo com a oferta de serviços on demand na nuvem (SaaS), de acordo com o que e por quanto tempo o cliente precisa.

 

PARTIDA PARA O E-COMMERCE E OMNICHANNEL

Uns 15 anos atrás, conversando com clientes de confecção, os sócios da Millennium já falavam de loja virtual, já que o termo e-commerce ainda não existia. Mas os confeccionistas não estavam nem um pouco convencidos de que aquilo vingaria, dizendo que o cliente queria pegar o produto na mão, ver seu caimento, etc. “Nós, como empresa de tecnologia, acompanhamos as tendências do mundo todo, e vimos que nos Estados Unidos a Amazon começou vendendo CDs e livros, e todos nós sabemos o que o e-commerce se tornou hoje”, destaca Sandro. Mas a partida firme para o e-commerce veio em 2013, como conta o CFO. “Devido aos problemas que o mercado de confecção vinha passando (roupas vindas da China, crise, impeachment, descrença muito grande no país), muitas empresas quebraram e perdemos muitos clientes. Então, em 2013, como já tínhamos um ERP, decidimos investir no desenvolvimento de um braço de e-commerce. Fomos atrás de clientes fora da área de moda e começamos a desenvolver o sistema com um cliente da área de artigos para fisioterapia. Vimos que o e-commerce era o caminho, e nele se vende qualquer coisa. Temos hoje um backoffice / ERP para e-commerce integrado com 38 plataformas do mercado, com os principais marketplaces. Nosso grande desafio nos últimos anos foi fazer integrações: pegar o que tínhamos pronto e integrar a hubs. Mas essa busca por atualização e conhecimento nos move diariamente. Posso afirmar que hoje, no Brasil, somos uma das poucas e únicas empresas que falam omnichannel de verdade.”

 

INVESTIMENTOS E EXPANSÃO DE MERCADOS

Sandro conta que nestes últimos anos, especialmente de 2017 para cá, a empresa vem crescendo muito, mesmo diante da crise, porque agora o ERP que fazem é para e-commerce em geral, mas ressalta que, de forma nenhuma, deixarão de lado as confecções, ainda seu maior nicho, muito pelo contrário: quer que elas vejam a Millennium como uma aliada para impulsioná-las em seus negócios, levando-as à era da digitalização e da multicanalidade. Na opinião do sócio, essas duas áreas ainda têm muito a crescer no Brasil. Fora dele, a Millennium atua também no México e em alguns países da América Latina, mas é aqui que a empresa quer ganhar ainda mais musculatura para, depois, avançar no mercado internacional. Para 2019, além do foco no varejo omnichannel, a aposta da empresa está no OmniStore, um PDV móvel que funciona como um catálogo, em que o cliente, na tela de um tablet ou de um celular, procura o produto desejado e são mostradas a ele outras peças que podem combinar com a escolhida, aumentando as chances de ele impulsionar as vendas e ter um tíquete maior. Tudo isso ali na loja, na hora, com as mais modernas tecnologias embarcadas.

Essa edição da revista ainda traz um artigo de Samuel Gonsales, Chief Product Officer e-Millennium ERP Omnichannel, falando dos motivos que levam bons e-commerces a quebrarem, para conferir o artigo no OmniBlog, clique aqui.

 

Você também pode conferir a matéria diretamente no site da Revista Costura Perfeita. ;)

 

Revista Costura Perfeita – Edição 107

e-Book: VENCENDO A CRISE ATRAVÉS DE ESTRATÉGIAS DE MULTICANALIDADE E OMNICHANNEL

O atual cenário de crises nos mais diversos setores da economia brasileira impõe que as empresas se concentrem em estratégias que possam ajudá-las a vencer a crise e manter-se em crescimento. Nesse sentido, há uma excelente opção nas estratégias de multicanalidade e omnichannel que podem mudar os rumos do negócio, transformar as empresas e garantir que vençam a crise.
Esse e-book tem o objetivo de guiar empresas, empreendedores e colaboradores na missão de aprofundar seus conhecimentos nos Conceitos da Omniera.

Baixar agora!