fbpx

SPED Fiscal e ERP: saiba como essa união pode facilitar a entrega das obrigações fiscais

 

SPED Fiscal
SPED Fiscal

Vai chegando o final do ano e algumas preocupações já começam a surgir na cabeça do administrador, e todas elas relacionadas as obrigações fiscais.

Não é nenhuma novidade que nosso sistema tributário é um dos mais complexos e burocráticos do mundo e, justamente por esse fator muitas empresas acabam tendo que lidar com perdas lucrativas consideráveis, seja pela falta de adequação ao regime tributário ou ao pagamento dos impostos.

A tecnologia além de ser excelente aliada nas vendas, ela também é indispensável no momento de automatizar os processos fiscais. Nesse sentido, os sistemas ERPs são cruciais para facilitar e otimizar o gerenciamento fiscal e contábil da empresa, garantindo que o empreendedor esteja em dia com todas as obrigações da Receita Federal.

Pensando no grande volume de informações que o gestor precisa lidar diariamente e principalmente na entrega do SPED Fiscal, decidimos falar sobre os benefícios de um sistema ERP no controle das obrigações fiscais.

Se você tem dúvidas em como o ERP pode ser um grande aliado nesse processo, então continue sua leitura, pois esse artigo é para você! ;)

 

O que é SPED Fiscal e Bloco K

O SPED Fiscal é um processo de escrituração digital da Receita Federal, que também pode ser chamado de EFD (Escrituração Fiscal Digital), é por meio dele que os contribuintes entregam a Receita Federal todas as informações referentes aos pagamentos dos impostos, como ICMS e IPI, por exemplo.

Ele serve para agilizar a coleta de todos os dados de interesse do fisco, podendo acessar essas informações pelo sistema ERP da empresa, que possui módulos fiscais e contábeis próprios para facilitar a entrega dessas obrigações para a Receita Federal.

O SPED Fiscal tem três pilares, a saber:

  • SPED Contábil (Escrituração Contábil Digital) – para empresas que estão inscritas no regime tributário de Lucro Real
  • SPED Contribuições (Federal) – onde o contribuinte pode entregar todos os documentos fiscais relacionados a apuração de impostos de ICMS e IPI.
  • SPED Fiscal (Estadual) – todas as operações são feitas de forma única.

 Já o Bloco K, também conhecido como registro de controle da produção e do estoque (RCPE), é uma obrigatoriedade que faz parte da escrituração de SPED Fiscal e consiste nas empresas prestarem informações mensais para o Ministério da Fazenda sobre produção, consumo de insumos e entrada e saída de mercadoria dos estoques. É fundamental que todas as empresas e indústrias atacadistas entreguem esses dados, com exceção daquelas que tributam pelo regime Simples Nacional e MEI.  

 

Qual a importância de estar em dia com as obrigações fiscais?

Dentre tantos desafios que um empreendedor enfrenta para manter a empresa em constante evolução, lidar com as obrigações tributárias deve ser umas das principais preocupações, a fim de garantir que a gestão dos processos fiscais ocorra sem sustos ou problemas jurídicos que prejudiquem a rentabilidade da companhia.

Dessa forma, cumprir todas as obrigações fiscais significa ser transparente com as informações financeiras da sua organização, evitando assim multas ou sanções desnecessárias, que comprometam ou impactem de maneira negativa a receita da empresa ou até mesmo o seu valor ético como marca.

O sistema ERP está apto para suportar esses processos, pois integra as necessidades de todas as empresas enquadradas dentro dessas obrigações.

A seguir falaremos mais dos benefícios do ERP para facilitar o gerenciamento das obrigações fiscais e tributarias, como o SPED Fiscal.

 

Benefícios de um sistema ERP no gerenciamento de obrigações fiscais

O sistema ERP está diretamente relacionado com o SPED Fiscal, isso porque ele gera os livros fiscais, permite a apuração dos impostos e fechamentos, dando uma completa visão da organização e permitindo que o gestor observe seus créditos ou débitos de impostos antes mesmo do fechamento, criando oportunidade de tomada de decisões mais assertivas e consistentes.

Além disso, o ERP que está preparado para os negócios da omniera, permitindo que a empresa crie seus roteiros de contabilização e assim opere com a completa gestão contábil do seu negócio, controlando os pedidos contábeis, realizando a gestão custos de produção, bem como seus respectivos rateios, sincronizando estoques contábeis com estoques gerenciais e emitindo livros de registro de inventário, razão, diários, calculando o CMV e, realizando o Balanço e o Demonstrativo de Resultados.

Assim, o gestor pode ter uma visão 360º (ou macro) das obrigações e dos prazos e ainda consegue realizar emissão de cupom fiscal, notas fiscais eletrônicas (NF-e) e notas fiscais de serviço eletrônicas (NFS-e). O sistema possibilita também o fechamento de IPI e ICMS, a geração dos livros fiscais de entrada e saída, a geração e validação dos arquivos magnéticos referentes ao Sintegra, SPED FISCAL (ICMS e IPI) e SPED contribuições (PIS/COFINS).

 

Conclusão

Entender todas as complexidades dos processos fiscais do nosso país é indispensável para manter a transparência e fazer as entregas das obrigações para a Receita Federal dentro do prazo, evitando multas e impactos negativos no caixa da empresa.

O sistema ERP, além das suas várias vertentes de atuação para gestão empresarial, é uma forma de simplificar todo esse processo para o empreendedor, pois ele atenua a busca pelos dados e filtra as informações necessárias, gerando os livros fiscais de forma automática e totalmente adequada as necessidades e obrigatoriedades do fisco.

E aí, você ainda tem dúvidas de como um ERP pode facilitar todo o processo fiscal? Fale com nossos especialistas e se surpreenda!

 

Autora: Joyce Alcântara.

Baixe aqui

Checklist: Gerenciamento Financeiro